top of page

Universidade Sénior e Escola Secundária de Ourém

Atualizado: 15 de jan.

Os eventos intergeracionais não são uma prática comum no nosso País. Não são muitos os assuntos capazes de juntar numa mesma sala jovens adolescentes, com a vida ainda por descobrir e pessoas com rugas e cicatrizes, reflexos de sabedoria, experiência e lutas passadas.

A Drª Teresa Barros, a dinâmica Presidente da Universidade Sénior de Ourém, que desde há anos pauta a sua atividade em benefício do envelhecimento ativo e a Drª Sandra Pimentel da Escola Básica e Secundária de Ourém, apercebendo-se de que a APAVC (Associação Portuguesa de AVC), tinha em seu poder, a massa que haveria de cimentar a junção dessas gerações, tão maravilhosamente diferentes e distantes, coorganizaram no passado dia 11 de dezembro, um desses raros eventos, que se haveria de tornar num sucesso.


Com a sala do auditório da Escola Básica e Secundária de Ourém, completamente cheia, a enfermeira palestrante Leonor Dias teve o ensejo de falar sobre uma das matérias mais queridas da Instituição: “como reconhecer e agir perante a suspeita de AVC”.

A palestrante reforçou a importância da população utilizar o SAFE, iniciais de Sorrir, Abraçar, Falar e Emergência (112), para diagnosticar rapidamente os três sintomas mais específicos do AVC: a face assimétrica ou face torta, a falta de força no braço ou na mão e a fala arrastada ou pouco percetível. Depois de constatar a presença de um ou de todos esses sintomas, a pessoa deve telefonar imediatamente para o 112, uma vez que, a suspeita de AVC é muito grande.


Utilize o SAFE, para que safe o doente da morte ou da invalidez. No início da sessão esteve presente, o presidente da APAVC, Dr. Fernando Venâncio que alertou para a necessidade da população saber identificar atempadamente os sintomas de AVC e para a premência em se iniciar o tratamento, o mais rapidamente possível, já que os melhores resultados são verificados nos primeiros 60-90 minutos, após o início dos sintomas.


Mostrou-se ainda bastante angustiado com a maneira como os AVC estão sendo tratados no País, tendo em conta, o dramático encerramento de várias vias verdes de AVC e o atraso no socorro dos doentes com suspeita de AVC.

Aproveitou também a ocasião para propôr a divulgação do tema, “o alcoolismo leva-te ao abismo”, junto dos alunos do ciclo secundário da Escola de Ourém, dando eco à preocupação da Direção Geral de Saúde com o excesso de consumo de bebidas alcoólicas, entre os mais jovens.


Por fim, o diretor do departamento médico, Dr. Mota Tavares numa breve alocução, enumerou rapidamente os principais erros comportamentais da nossa sociedade, que urge combater. Ingestão excessiva de alimentos pouco saudáveis, de fritos, de refeições prontas a comer, o consumo descomedido de refeições confecionadas fora de casa, a gritante falta de atividade física, a obesidade, a solidão, um dos fatores de risco cardiovascular que mais insistimos em ignorar e, finalmente, o tempo excessivo que a juventude passa em frente dos diferentes ecrãs e que lhes retira o convívio e destroi o espírito de iniciativa e a vontade de empreender, essenciais para o seu desenvolvimento.


Diretor do Departamento Médico-Científico da APAVC

Fernando Mota Tavares


17 visualizações

Posts recentes

Ver tudo
bottom of page